AArk logo

O pessoal da Amphibian Ark (Arca dos Anfíbios – AArk) ajuda a coordenar programas implementados por parceiros em todo o mundo, com destaque para programas que actuam dentro dos países onde as espécies ocorrem. Estamos sempre cientes da nossa obrigação de conjugar as medidas de conservação ex situ com os indispensáveis esforços para proteger ou restabelecer as espécies nos seus habitats naturais. Os nossos Taxon Officers (responsáveis taxonómicos) ajudam a coordenar todos os aspectos da implementação inerentes à iniciativa AArk e auxiliam os parceiros da AArk na identificação dos taxon prioritários para acções de conservação in situ ou ex situ. Uma parte preliminar deste processo envolve avaliação de espécies, para ajudar os gestores de conservação a maximizar o impacto dos seus limitados recursos para a conservação, através da identificação de que anfíbios estão mais necessitados de quais medidas de conservação. A conservação ex situ de uma espécie de anfíbio ameaçada é considerada como uma necessidade quando o imperativo da conservação in situ não pode, por si próprio, assegurar a sobrevivência de uma espécie e do seu ecossistema. Quando a gestão ex situ de uma espécie de anfíbio é considerada necessária e adequada, deve-se procurar estabelecer essa iniciativa na região de onde é ecologicamente originárian. Em 2006, a CBSG e a WAZA organizaram um Amphibian Ex Situ Conservation Planning workshop (Workshop de Planeamento para a Conservação Ex Situ de Anfíbios), no Panamá e durante esse workshop, um grupo de trabalho desenvolveu uma série de questões para a selecção e definição de prioridades dos taxon que mais necessitam de conservação ex situ. A árvore decisional foi desde então novamente revista e refinada e evoluiu agora para o AArk Conservation Needs Assessment process (Processo de Avaliação de Necessidades de Conservação AArk), (Também uma versão em Espanhol Herramienta para Evaluar las Necesidades de Conservación de Anfibios, e uma ferramenta para introdução de dados electrónicos standard, utilizando o Microsoft Excel. Este processo de avaliação demonstrou ser lógico, transparente e repetível, para orientar as actividades de conservação de Anfíbios num país ou região. De uma forma geral, a comunidade de conservação ex situ não possui conhecimento específico para determinar que espécies apresentam um maior risco de extinção na natureza e que espécies necessitam de intervenção imediata para evitar a extinção. Na preparação dos workshops de Avaliação Necessidades de Conservação da AArk, apoiamo-nos de forma significativa na representação local do Amphibian Specialist Group (Grupo de Especialistas em Anfíbios) da IUCN SSC, por forma a reunir uma equipa de peritos semelhante à que em 2004 dirigiu o Global Amphibian Assessment (Avaliação Global dos Anfíbios) mas desta vez com o objectivo de actualizar a informação e distinguir e avaliar todos os taxons, para determinar quais as melhores medidas de conservação para ajudar a assegurar a sua derradeira sobrevivência na natureza. Da avaliação resulta uma série de relatórios para nove acções de conservação distintas. As espécies são listadas de acordo com a sua prioridade para a acção de conservação preconizada e a documentação de suporte proporciona um guia para essas espécies que mais provavelmente beneficiarão da(s) medida(s) prescrita(s). Desde 2007, temos avaliações de necessidades de conservação facilitadas para 3.375 (46%) das todas as espécies de anfíbios através de 26 workshops de âmbito nacional ou regional. Outros workshops estão planeados para outros países e regiões, durante os próximos meses. Os resultados dos workshops de avaliação anteriores estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio. As vantagens deste método de avaliação são evidentes – nós reunimos os principais peritos em anfíbios de cada região, para em conjunto decidir quais as melhores medidas de conservação para ajudar a prevenir a extinção de anfíbios ameaçados, na natureza. Estas medidas incluem recuperação e conservação de habitats, atenuação de ameaças, criação em cativeiro para libertação e envolvimento e consciencialização das comunidades. Sem uma gestão em cativeiro imediata como paliativo para um esforço de conservação integrado, centenas de espécies podem-se extinguir. Uma vez que os recursos ex situ são limitados, a AArk tem que tentar identificar que espécies necessitam de gestão ex situ com maior urgência.


Conservation Needs Assessment for Bolivia, June 2-4 2014

Bolivia is a mega-diverse country holding a large percentage of the world’s biodiversity. This richness contrasts with a relatively poor understanding of its biodiversity and as in many South American countries, a lack of economical resources. Disturbingly, a number of high priority sites for amphibian conservation, even within protected areas, require immediate conservation action, and many of these areas appear to be under increasing threats from over harvesting, exotic species and habitat degradation.

Bolivian assessment workshopThe Conservation Needs Assessment for the amphibians of Bolivia brought together sixteen amphibian field biologists from around Bolivia, representing eight different museums, universities, zoos and non-governmental organizations. The three-day assessment workshop was hosted by the Museo de Historia Natural Alcide d'Orbigny in Cochabamba, Bolivia, and was facilitated by Kevin Johnson from the Amphibian Ark. During the workshop, all 265 amphibian species found in Bolivia were assessed and prioritized for the most urgent conservation actions required to ensure their ongoing survival in the wild. These 265 species include 16 that are listed in the IUCN Red List as Critically Endangered, 16 Endangered, 25 Vulnerable, 5 Near Threatened, 185 Least Concern and 18 Data Deficient. Eighty-eight of the species (33%) are endemic to Bolivia, and of these 45 species are considered to be threatened. The recommendations from the conservation needs assessment for Bolivian amphibians include:

  • 29 Rescue - species that are in imminent danger of extinction (nationally) and require ex situ management, as part of an integrated program, to ensure their survival.
  • 40 In situ conservation - species for which mitigation of threats in the wild may still bring about their successful conservation.
  • 113 In situ research - species that for one or more reasons require further in situ research to be carried out as part of the conservation action for the species. One or more critical pieces of information is not known at this time.
  • 18 Ex situ research - species currently undergoing, or proposed for specific applied research that directly contributes to the conservation of the species, or a related species, in the wild (this includes clearly defined ‘model’ or ‘surrogate’ species).
  • 2 Mass production in captivity - species threatened through wild collection (e.g. as a food resource), which could be bred in captivity – normally in-country, ex situ – to replace a demand for wild harvested specimens.
  • 73 Conservation education - species that are specifically selected for management – primarily in zoos and aquariums – to inspire and increase knowledge in visitors, in order to promote positive behavioral change.
  • 29 Biobanking - species for which the long-term storage of sperm or cells to perpetuate their genetic variation is urgently recommended, due the serious threat of extinction of the species.
  • 86 No conservation action - species that do not require any conservation action at this point in time.

  Almost all of the fourteen species in the genus Telmatobius were amongst the highest priority species for a range of conservation actions, as well as a number of Hyloscirtus, Gastrotheca, Rhinella and Psychrophrynella species. Funding for this workshop was generously provided by a grant from the Chicago Board of Trade Endangered Species Fund.


Workshop de Avaliação das Necessidades de Conservação para as Filipinas, Julho 1-4 2014

Philippine assessment workshop participantsEm Julho de 2014, a University of Santo Tomas em Manila, Filipinas, foi anfitriã de um workshop de avaliação de necessidades de conservação de todos os anfíbios das Filipinas. Durante o workshop, 113 espécies de anfíbios foram avaliadas e definiram-se prioridades para as respectivas medidas de conservação. Foi notório durante o processo de avaliação que muitas das categorias do Livro Vermelho que haviam sido atribuídas a espécies locais estão hoje muito desactualizadas, não havendo desde 2004 actualizações para a maioria. Embora o grupo não tenha conseguido concluir as avaliações do Livro Vermelho durante o workshop, as categorias do Livro Vermelho utilizadas para completar esta avaliação foram revistas para os seus valores estimados, com base nas peritagens dos participantes dos workshops. É bastante evidente que os anfíbios das Filipinas necessitam de uma reavaliação completa do seu Livro Vermelho.

De acordo com as categorias estimadas do Livro Vermelho, os anfíbios das Filipinas enquadram-se nas seguintes categorias do Livro Vermelho: Criticamente em Perigo (1), Em Perigo (1), Vulnerável (21), Quase Ameaçado (32), Pouco Preocupante (25) e Informação Insuficiente (33). Quinze participantes em representação de nove organizações distintas nas Filipinas sistematicamente utilizaram o método de avaliação das necessidades de conservação da AArk para avaliação de espécies, sendo cada espécie recomendada para uma ou mais das seguintes medidas de conservação:

  • Salvar Ex Situ: 2 espécies que estão em risco iminente de extinção (a nível nacional) e que necessitam de gestão ex situ, como parte de um programa integrado para assegurar a sua sobrevivência.
  • Conservação In Situ: 35 espécies para as quais a atenuação de ameaças na natureza poderá ainda permitir o sucesso na sua conservação.
  • Investigação In Situ : 46 espécies que por uma ou mais razões necessitam de investigação in situ adicional, no âmbito do esforço de conservação para essas espécies. Uma ou mais informações essenciais são ainda desconhecidas.
  • Investigação Ex Situ: 40 espécies actualmente alvo de investigação, ou sugeridas para investigação aplicada específica, que contribua de forma directa para a conservação da espécie, ou espécie relacionada, na natureza (incluindo espécies “modelo” ou “substitutas” bem definidas).
  • Produção em massa em cativeiro: 1 espécie ameaçada devido às capturas na natureza (ex.: como fonte de alimento), que poderia ser criada em cativeiro – tipicamente ex situ, no próprio país- para substituir a procura por exemplares encontrados na natureza.
  • Pedagogia para a Conservação: 42 espécies que são especificamente seleccionadas para gestão – principalmente em zoos e aquários – para inspirar e aumentar o conhecimento dos visitantes, no sentido de promover alterações comportamentais positivas.
  • Biobanco: 2 espécies para as quais é recomendada com caracter de urgência, a armazenagem de longa duração de esperma ou células, para perpetuar a sua variedade genética, devido a uma séria ameaça de extinção da espécie.
  • Nenhuma acção de conservação necessária: 19 espécies que neste momento não necessitam de qualquer medida de conservação.

  Durante o ultimo dia do workshop, os participantes esboçaram as linhas mestras para um Plano de Acção Nacional para os Anfíbios das Filipinas e nomearam autores para cada parte do documento. Este será um plano de acção nacional detalhado, que incluirá as prioridades definidas e as recomendações produzidas durante o workshop. Está previsto que este plano de acção será publicado antes do fim de 2014. À semelhança do que sucedeu em outros workshops de avaliação de necessidades de conservação dos anfíbios recentes, o pessoal da AArk está a trabalhar com as comunidades locais de conservação dos anfíbios para identificar um candidato adequado para um lugar de Coordenador Nacional para a Conservação dos Anfíbios, em part-time, com a duração de 12 meses. Terá a incumbência de trabalhar com os participantes das avaliações e outros intervenientes no sentido de completar a escrita e publicação do Plano de Acção Nacional para os Anfíbios e irão depois auxiliar no desenvolvimento de medidas de acção adicionais ao nível das espécies e ajudar no estabelecimento de novas parcerias, dentro e fora do país, para assegurar a implementação das recomendações resultantes dos workshops de forma coordenada. A angariação de fundos para empregar um candidato adequado está em curso. A experiência tem demonstrado que a existência de alguém dedicado a este tipo de funções durante um período, após os workshops de avaliação, origina uma resposta mais coordenada e programas de conservação com melhores perspectivas atingir os seus objectivos. O pessoal da AArk continuará a dar apoio e aconselhamento sempre que necessário, para assegurar os melhores resultados possíveis na conservação a longo prazo, na natureza, dos anfíbios das Filipinas. O financiamento do workshop foi generosamente proporcionado pelo Zoo de Chester e a Universidade de Santo Tomas, tendo esta última proporcionado as instalações e o equipamento. Os resultados dos workshops de avaliação anteriores estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de Avaliação de Necessidades de Conservação para o Equador, 21-24 maio 2012

Em maio 2012 a Pontificia Universidad Catolica del Ecuador (PUCE) em Quito, Equador, foi anfitriã de um workshop para avaliação das necessidades de conservação dos anfíbios do Equador. Durante o workshop, 265 de 531 espécies de anfíbios do equador foram avaliadas, incluindo as 241 espécies ameaçadas (Criticamente em Perigo, Em Perigo, Vulneráveis e Quase Ameaçadas), e 24 espécies categorizadas no Livro Vermelho do IUCN como Pouco Preocupantes ou com Informação Insuficiente.

Participantes em representação de oito organizações distintas avaliaram as espécies de forma sistemática, utilizando o método de avaliação de necessidades de conservação da AArk, com cada espécie a ser proposta para uma ou mais das seguintes medidas de conservação:

  • Salvar: 55 espécies que correm perigo iminente de extinção (a nível nacional) e necessitam de gestão ex situ, como parte de um programa integrado, para assegurar a sua sobrevivência.
  • Conservação In Situ: 202 espécies para as quais a atenuação de ameaças na natureza poderá ainda permitir o sucesso na sua conservação.
  • Investigação In Situ: 290 espécies que por uma ou mais razões necessitam de investigação in situ adicional, no âmbito do esforço de conservação para essas espécies. Uma ou mais informações essenciais são ainda desconhecidas.
  • Investigação Ex Situ: 28 espécies actualmente alvo de investigação, ou sugeridas para investigação aplicada específica que contribua de forma directa para a conservação da espécie, ou espécie relacionada, na natureza (incluindo espécies modelo ou substitutas bem definidas).
  • Pedagogia para a Conservação: 64 espécies que são especificamente seleccionadas para gestão – principalmente em zoos e aquários –, para inspirar e aumentar o conhecimento dos visitantes, promovendo assim alterações comportamentais positivas.
  • Biobanco: 55 espécies para as quais é recomendada com carácter de urgência, a armazenagem de longa duração de esperma ou células, para perpetuar a sua variedade genética, devido a uma séria ameaça de extinção da espécie.
  • Nenhuma Medida de Conservação Necessária: 22 espécies que neste momento não necessitam de qualquer medida de conservação.

 

Devido a limitações de tempo 266 espécies classificadas como Pouco Preocupante ou com Informação Insuficiente não foram avaliadas durante o workshop.

Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.

O financiamento para o workshop foi generosamente proporcionado pelo Zoo de Saint Louis e pelo Chicago Zoological Society’s Chicago Board of Trade Endangered Species Fund (Fundo do Conselho de Chicago para as Espécies Ameaçadas pelo Comércio, da Sociedade Zoológica de Chicago), tendo a PUCE disponibilizado as instalações e o equipamento.


Workshop de Avaliação das Necessidades de Conservação dos Anfíbios, para Vietname, Laos e Cambodja, 26-30 março 2012

O Institute of Ecology and Biological Resources (Instituto de Ecologia e Recursos Biológicos), na Vietnamese Academy of Science and Technology (Academia Vietnamita de Ciência e Tecnologia), em Hanói, Vietname, organizaram um workshop de avaliação das necessidades de conservação dos anfíbios de cinco dias, em março de 2012. Durante o workshop, foram avaliadas as necessidades de conservação de 203 espécies de anfíbios existentes no Vietname, Laos e Cambodja. Workshop participants in Hanoi, VietnamVinte participantes reuniram-se durante os cinco dias, com representantes de Vietname, Laos, Cambodja, Alemanha, França, China, Austrália, Filipinas e EUA. O workshop foi co-financiado por doações do Conservation Food and Health Foundation (Fundação para a Conservação, Alimento e Saúde), o Conservation and Collection Management Committee of the Columbus Zoo and Aquarium (Comité para a Conservação e Gestão das Colecções, do Zoo e Aquário Zoo e Aquário de Columbus) e do Prince Bernhard Fund For Nature (Fundo para a Natureza Prince Bernhard). Dois aspectos essenciais foram reiterados durante o workshop. Em primeiro lugar, que muito pouco se sabe sobre muitas das espécies de anfíbios de Vietname, Laos e Cambodja na natureza, e é necessário desenvolver muito mais pesquisa no terreno para conseguir compreender de forma conclusiva, o estado dos anfíbios da região. Em segundo lugar, embora algumas espécies existam em zonas protegidas, dentro da região, a maior parte destas áreas protegidas não proporcionam protecção efectiva e ocorre ainda a captura de animais, destruição de habitat para agricultura e mineração. Esta realidade é particularmente notória no Cambodja, onde praticamente não existe protecção para os habitats naturais. Durante o workshop, 90 espécies foram recomendadas para trabalho de conservação in situ, para assegurar a sua sobrevivência na natureza, 123 espécies (sobretudo classificadas como tendo Informação Insuficiente) necessitam de pesquisa in situ adicional, para determinar a sua distribuição ou as ameaças que enfrentam, 5 espécies foram identificadas como análogas nos cuidados em relação a espécies mais ameaçadas, ou para investigação ex situ, 81 espécies foram identificadas como adequadas para fins de pedagogia para a conservação e 25 espécies que não necessitam de qualquer medida de conservação no presente. Existem ainda algumas espécies que necessitam de trabalho taxonómico adicional, para definir os limites correctos da espécie. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de Avaliação de Necessidades de Conservação para Singapura, 31 Outubro-5 Novembro, 2011

Desde 31 de outubro até 5 de novembro, a Wildlife Reserves Singapore (Reservas de Vida Selvagem de Singapura) foi anfitriã de um workshop de Avaliação das Necessidades de Conservação dos Anfíbios, no Zoo de Singapura. Cerca de 35 pessoas participaram neste workshop, as quais não apenas reviram os requisitos de conservação dos anfíbios de Singapura, mas também proporcionaram orientação e prática para o pessoal do novo River Safari Park (Parque do Safari no Rio), que incluirá um conjunto de projectos de conservação de Anfíbios, na sua abertura em 2012. O workshop foi financiado pelo Wildlife Reserves Singapore Conservation Fund (Fundo para a Conservação das Reservas de Vida Selvagem de Singapura). Os primeiros três dias do workshop foram dedicados à conservação dos anfíbios no terreno e incluiu a avaliação de necessidades de conservação, e uma série de apresentações e sessões práticas incidindo nos anfíbios de Singapura e um conjunto de técnicas utilizadas no terreno durante expedições de investigação de anfíbios. A avaliação foi facilitada por Kevin Johnson da AArk e os participantes incluíram pessoal da Wildlife Reserves of Singapore, National Parks Board of Singapore (Conselho de Parques Nacionais de Singapura), e a National University of Singapore (Universidade Nacional de Singapura). As apresentações ficaram a cargo do Dr. Tzi Ming Leong e do Dr. David Bickford da National University of Singapore, Dra. Nancy Karraker da University of Hong Kong (Universidade de Hong Kong), Dr. Brad Wilson de Atlanta-EUA, Dr. Phil Bishop da Amphibian Survival Alliance (Aliança para a Sobrevivência dos Anfíbios) e Ron Gagliardo da AArk. Vinte e oito espécies de anfíbios foram avaliadas durante o workshop, com uma espécie, a Rã Cornuda Malaia, Megophrys nasuta, a ser recomendada para um programa de salvação ex situ. Oito espécies foram recomendadas para medidas de conservação in situ, sete espécies necessitam que se realize mais investigação in situ, duas espécies foram recomendadas para investigação ex situ, doze espécies são adequadas tanto para programas de pedagogia para a conservação in situ ou ex situ, e uma espécie foi proposta para criopreservação. Catorze espécies foram consideradas em segurança na natureza e não necessitadas de qualquer medida de conservação, presentemente. A inclusão de uma série de apresentações e sessões práticas foi uma novidade nos workshops de avaliação da AArk e foi muito bem recebida pelos participantes. Estas sessões proporcionaram um excelente vislumbre da biologia geral dos anfíbios, uma visão global dos anfíbios de Singapura, técnicas específicas para trabalho no terreno tais como captura e imobilização, pesagem, identificação e determinação do sexo, minimizar o risco de transmissão de doenças, e técnicas e protocolos de amostragem. Foi ainda incluída uma expedição nocturna a dois locais na Bukit Timah Nature Reserve  (Reserva Natural Bukit Timah), durante a qual catorze espécies de anfíbios foram avistadas. O pessoal da AArk gostaria de agradecer ao Wildlife Reserves Singapore Conservation Fund pelo seu generoso apoio a este workshop, e a todos os participantes pelo seu envolvimento no decurso dos workshops. Estamos na expectativa para ver novas e excelentes exposições de anfíbios e programas de conservação no River Safari, quando abrir no ano que vem. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop para Avaliação das Necessidades de Conservação de Anfíbios para as Caraíbas, 22-30 de março, 2011

Em março 2011, o pessoal da AArk facilitou dois workshops de Avaliação das Necessidades de Conservação em Santo Domingo, Republica Dominicana, nas Caraíbas. O primeiro workshop, que também incluía a actualização de muitas Avaliações do Livro Vermelho, centrou-se em espécies de Haiti, Republica Dominicana e Jamaica. O segundo workshop avaliou os anfíbios de Porto Rico e Cuba, mais algumas espécies das Antilhas Pequenas. Durante os nove dias, dezasseis especialistas do trabalho no terreno e observadores trabalharam com o pessoal da AArk, Amphibian Specialist Group do IUCN SSC e Conservation International (Conservação Internacional), sendo formados diversos grupos para abordar diversas avaliações em simultâneo. 178 espécies de anfíbios foram avaliadas em termos das suas necessidades de conservação, das quais 54 espécies existem no Haiti, 44 na Republica Dominicana, 24 na Jamaica, 62 em Cuba, 22 espécies em Porto Rico e 6 das Antilhas Pequenas. O processo de avaliação resultou nas seguintes recomendações: 25 espécies necessitam de programas para Salvar ex situ; 112 espécies podem ainda ser salvas na natureza com medidas de conservação in situ; 41 espécies carecem de investigação in situ adicional para conhecer melhor o estado da população e/ou as ameaças que enfrentam; 78 espécies estão actualmente a ser alvo de, ou propostas para investigação ex situ específica, que contribui para a conservação da espécie ou espécie relacionada; 90 espécies que são adequadas para programas de Pedagogia para a Conservação, tanto in situ, como ex situ; e 26 espécies recomendadas para criopreservação. Apenas 12 espécies não foram recomendadas para qualquer medida de conservação. Estamos actualmente a identificar mais peritos em trabalho no terreno nas Pequenas Antilhas e Trinidade e Tobago para ajudar a completar as avaliações para essas ilhas. Os documentos com a informação serão actualizados à medida que mais avaliações são realizadas. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio. Durante o workshop, revimos os resultados das avaliações das espécies para cada país e discutimos opções para acompanhamento de diversas medidas de conservação, identificadas durante o workshop. Foram identificados voluntários em cada país para ser o ponto fulcral de medidas continuadas, actualizações de avaliações, e para encorajar actividades de conservação dos anfíbios nos países em questão. Estes voluntários são: Susan Koenig e Iris Holmes para a Jamaica; Rafael Joglar para Porto Rico; Sixto Inchaustegui para a Republica Dominicana; Luis Díaz e Ariel Rodríguez para Cuba; e Joel Timyan para o Haiti. Também investimos diversas horas do último dia a discutir questões relacionadas com cuidados ex situ para os anfíbios, com inúmeros exemplos de instalações ora simples, ora sofisticadas, que foram exibidas e debatidas. Os participantes consideraram que esta iniciativa foi especialmente útil e obtiveram inúmeras boas ideias para pôr em prática nas suas próprias instalações. Os participantes puderam apreciar três viagens durante o workshop: um passeio nocturno pelo Parque Zoológico Nacional (ZooDom); uma expedição ao terreno numa maravilhosa floresta húmida na Reserva Científica de Ebano Verde, área protegida de 23Km2; e uma incursão nocturna aos Santo Domingo Botanical Gardens (Jardins Botânicos de Santo Domingo). Durante estas incursões, foram encontradas diversas espécies de sapos, rãs, lagartos e cobras, bem como um par de tarântulas enormes. Gostaríamos de estender os nossos agradecimentos a Adrell Núñez do ZooDom e Miguel Landestoy pela sua hospitalidade ao proporcionar-nos estas visitas e dessa forma permitindo-nos vivenciar um pouco a flora e fauna locais. Gostaríamos também de agradecer ao Mohamed bin Zayed Species Conservation Fund (Fundo para a Conservação das Espécies Mohamed bin Zayed), que proporcionaram os fundos para a realização deste workshop.


Avaliação de Necessidades de Conservação dos Anfíbios para o Japão, Asa Zoo, Hiroshima, Japão, 20-21 janeiro, 2011

Em janeiro de  2011, o Asa Zoo de Hiroshima foi anfitrião de um workshop para Avaliação das Necessidades de Conservação dos Anfíbios, compreendendo 62 espécies nativas do Japão. O Sr. Daimaru, Director do Asa Zoo e o Dr. Kazushi Kuwabara receberam os especialistas Japoneses de trabalho no terreno, biólogos e investigadores de anfíbios, representantes do Ministro do Ambiente, pessoal da AArk e observadores do workshop e o primeiro dia começou com uma apresentação sobre a AArk e o processo de avaliação, seguida de dia e meio de avaliação de espécies. Durante a explicação do processo de avaliação, os participantes do workshop sugeriram algumas pequenas alterações ao processo, por forma a melhor se adequar a alguns dos programas de anfíbios no Japão e para reforçar a clareza na definição das questões. Estas sugestões foram já incorporadas na ferramenta e workshops futuros beneficiarão delas. A avaliação de 62 espécies resultou na recomendação para as seguintes medidas de conservação:

  • 1 1 espécie recomendada para Investigação in situ – Trata-se de uma espécie que por uma ou mais razões necessita de investigação in situ adicional, no âmbito do esforço de conservação para essa espécie. Uma ou mais informações essenciais são ainda desconhecidas.
  • 62 espécies que beneficiarão de  Conservação In Situ – Espécies para as quais a atenuação das ameaças na natureza poderá ainda proporcionar o sucesso na sua conservação.
  • 34 espécies adequadas para Investigação Ex Situ – Espécies alvo de investigação aplicada específica que contribui de forma directa para a conservação da espécie, ou espécie relacionada, na natureza (incluindo espécies “modelo” ou “substitutas” claramente definidas).
  • 60 espécies que são adequadas para Pedagogia para a Conservação – espécies que são especificamente seleccionadas para gestão – principalmente em zoos e aquários – para inspirar e aumentar o conhecimento dos visitantes, no sentido de promover alterações comportamentais positivas. É um exemplo a utilização de uma espécie para angariar apoios, financeiros ou para projectos de conservação no terreno (incluindo espécies “modelo” ou  “embaixadoras” claramente definidas).

  O workshop de avaliação concluiu com apresentações de alguns participantes sobre o seu trabalho de conservação com anfíbios e de alguns dos programas líder em reprodução e investigação de anfíbios. No dia seguinte, foi organizado um workshop público sobre anfíbios, que começou com uma actualização dos resultados do workshop de avaliação do Dr. Kuwabara. Seguidamente uma apresentação sobre a crise dos anfíbios por Kevin Zippel da AArk, e depois uma visita às instalações de reprodução de Salamandra Gigante do Asa Zoo. À tarde todos os participantes foram levados ao terreno, para visitar uma área de conservação da Salamandra Gigante no Rio Shijihara na região de Hiroshima, onde o pessoal do Asa Zoo tem vindo a trabalhar desde há muitos anos. Esta foi uma excelente oportunidade para todos nós vermos o tipo de habitat em que estes animais fascinantes vivem e para ouvir relatos da dedicação dos habitantes da localidade de Shijihara, Kitahiroshima-cho, Yamagata, Hiroshima, que ensinam estudantes e visitantes sobre a conservação desta ameaçada espécie icónica. Gostaríamos de agradecer ao Dr. Uwabara e ao Dr. Kanako Nishimoto pelas muitas horas investidas na organização deste workshop, ao pessoal do Asa Zoo pela sua maravilhosa hospitalidade e ao Dr. Nishimoto e Dr. Yumiko Kato pelas suas traduções durante o workshop. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Avaliação das Necessidades de Conservação para os Anfíbios Argentinos, Buenos Aires, Argentina, 23-25 outubro, 2010

Foi um workshop dedicado à Avaliação das Necessidades de Conservação dos Anfíbios com uma boa participação e muito sucesso, entre os dias 23 e 25 de outubro. Foi co-financiado por um donativo da Durrel Wildlife do Fish & Wildlife Service (capacitação para a conservação dos anfíbios na Argentina), o Chester Zoo, AArk/EAZA e o Buenos Aires Zoo que amavelmente nos recebeu, proporcionou instalações, equipamentos e abundantes refrescos. O workshop foi organizado pelo Grupo de Especialistas em Anfíbios Argentino, do IUCN SSC, tendo a maior parte do trabalho difícil sido realizado por Marcos Vaira e seus alunos. Foi frequentado por dezoito biólogos de anfíbios, estudantes de doutoramentos, profissionais de zoos e representantes governamentais, representando todas as regiões do país e facilitadas pelo Responsável Taxonómico da AArk Richard Gibson (do Chester Zoo) e Luis Carillo (Zoofari, Mexico). Seis espécies foram identificadas para programas urgentes para salvar em regime ex situ, enquanto dezoito foram consideradas recuperáveis in situ, se forem tomadas medidas com brevidade. Quarenta e uma espécies necessitam de investigação in situ significativa, por forma a determinar o nível de ameaça, incluindo o impacto do comércio, estado da população e cobertura da área protegida. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio. Foi utilizado muito tempo a debater os próximos passos na utilização dos dados do workshop enquanto base para um plano de acção genérico para a conservação dos anfíbios na Argentina e enquanto guia para programas de recuperação específicos para certas espécies.


Workshop de avaliação de necessidades de conservação na Guatemala, Cidade da Guatemala, Guatemala, 4 a 6 de fevereiro de 2010

A Amphibian Ark realizou um Workshop de Avaliação de Necessidades de Conservação de anfíbios para as espécies da Guatemala, de 4 a 6 de Fevereiro, no Museu da Universidade de San Carlos, na Cidade da Guatemala. No workshop participaram Carlos Vasquez, Jonathan Campbell (Presidente Regional do Grupo de Especialistas em Anfíbios da IUCN SSC na Guatemala), Ted Papenfuss, Manuel Acevedo, Roderico Anzueto, Liza García, Jacobo Conde, Alejandra Zamora e Gustavo Ruano, sendo que o workshop foi ministrado por Kevin Johnson. Durante o workshop, os participantes avaliaram 142 espécies da Guatemala para avaliar o tipo de ações necessárias para assegurar a sua sobrevivência, sendo que algumas espécies se enquadravam num ou em mais de seis tipos de conservação diferente:

  • 34 espécies requerem salvamento – Espécies em perigo iminente de extinção (local ou global) e que requerem uma gestão ex situ como parte de um programa integrado, para assegurar a sua sobrevivência.
  • 42 espécies requerem uma conservação in situ – Espécies para as quais a mitigação das ameaças na natureza ainda poderá levar a uma conservação com sucesso.
  • 58 espécies requerem uma investigação in situ – Espécies que, por um ou mais motivos, requerem que seja realizada uma investigação in situ como parte de uma ação de conservação. Desconhecem-se à data uma ou mais informações fundamentais.
  • 12 espécies requerem uma investigação ex situ – Espécies que estão a ser submetidas a uma investigação aplicada específica que contribui diretamente para a sua conservação, ou de uma espécie relacionada, na Natureza (o que inclui espécies claramente definidas como “modelo” ou “substitutas”.
  • 12 espécies adequadas para educação ambiental – Espécies especificamente selecionadas para gestão, sobretudo em parques zoológicos e aquários, para inspirar e aumentar o conhecimento dos visitantes, de modo a promover uma mudança de comportamento positiva. Por exemplo, quando uma espécie é utilizada para angariar apoio financeiro ou outro tipo de apoio para projetos de conservação no campo (o que inclui espécies “emblemáticas” ou “embaixadoras” claramente definidas).
  • 37 espécies que atualmente, não requerem qualquer ação de conservação.

  No final do workshop, os participantes discutiram os resultados e os passos a dar em seguida. Encontram-se em curso mais trabalhos de investigações in situ sendo que várias universidades estão atualmente envolvidas no campo da investigação. Existe um grande interesse na realização de um workshop sobre maneio e reprodução de anfíbios na Guatemala nos próximos meses, com o objetivo de aumentar a capacidade de estabelecer programas de conservação ex situ sucesso no país. Encontra-se neste momento a ser delineada uma proposta para a obtenção de financiamento para um pequeno local de exposição e reprodução de anfíbios com fins de conservação, com instalações para a exibição de uma ou mais espécies de rãs e salamandras e com uma área restrita, na qual possam ser aumentadas as competências de reprodução e onde possam ser mantidas diversas espécies para reprodução em cativeiro. Os fundos utilizados no workshop foram generosamente disponibilizados pelo Columbus Zoo and Aquarium Conservation Fund [Fundo de Conservação do parque zoológico e aquário de Columbus]. Estamos profundamente gratos pelo seu apoio neste workshop. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de Avaliação de Necessidades de Conservação de Anfíbios, Kandy, Sri Lanka, 2 e 3 de novembro de 2009

O Responsável pelos Grupos Taxonómicos da AArk, Richard Gibson, realizou um workshop de Avaliação de Necessidades de Conservação de Anfíbios em Kandy, no Sri Lanka, a 2 e 3 de novembro de 2009. O workshop foi organizado pelo Vice-presidente do Grupo de Especialistas em Anfíbios regional, Anslem de Silva, e contou com 24 participantes provenientes das mais diversas áreas, muitos dos quais foram generosamente financiados por Rohan Pethyiagoda, o Secretário da Biodiversidade do governo do Sri Lanka, e foram atribuídas bolsas do Centro Internacional de Formação do Durrell Wildlife Conservation Trust. Os dois dias de discussão e deliberação intensivas, habilmente dirigidos por Gerardo Garcia e Jamie Copsey da Durrel Wildlife, tiveram como resultado uma avaliação abrangente das necessidades de conservação das 107 espécies conhecidas de rãs e cecílias do Sri Lanka e um esboço da avaliação da Lista Vermelha para duas espécies recentemente descobertas, a Philautus singu e a Philautus tanu – ambas provisoriamente avaliadas como Em Perigo com base na distribuição e extensão de ocorrências limitadas. Talvez a revelação mais interessante do workshop tenha sido o fato de, pelo menos, uma espécie que se pensava estar extinta, a Adenomus kandianus, ter sido aparentemente redescoberta. São ótimas notícias para o Sri Lanka e para os conservacionistas de anfíbios de todo o mundo. Dez espécies de rãs foram consideradas como estando tão próximas da extinção que se justifica a criação de programas de ‘salvamento’ ex situ ao passo que mais 22 espécies ameaçadas podem, provavelmente, ser salvas in situ através de uma ação de conservação dedicada. Foram identificadas 33 espécies que podem beneficiar de iniciativas de investigação ex situ, o que reflete não só a descoberta relativamente recente de grande parte da diversidade anfíbia do Sri Lanka, como a insuficiência de estudos sobre a ecologia e história natural das espécies. Aproximadamente um quarto das espécies conhecidas foi considerada como tendo potencial educativo quer a nível nacional como local, através de diversos meios, incluindo a exposição ao público. Tendo em conta que está a ser desenvolvido um novo parque zoológico nacional, as diretivas sobre as espécies do programa educacional e de investigação não poderiam surgir num momento mais apropriado e conveniente. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de avaliação de necessidades de conservação no Brasil, São Paulo, Brasil, 9 a 11 de agosto de 2009

14 especialistas em anfíbios do Brasil, em representação de 12 instituições, reuniram-se para um workshop de avaliação de necessidades de conservação de anfíbios no Brasil, no Parque Zoológico de São Paulo, no Brasil, de 9 a 11 de agosto de 2009. O workshop foi realizado por Richard Gibson e Kevin Johnson da Amphibian Ark. O objetivo deste workshop consistiu em identificar as espécies de anfíbios ameaçadas prioritárias e as suas necessidades de conservação imediatas. Durante o workshop de atribuição de prioridades, um total de 866 espécies foram enumeradas para avaliação. Em primeiro lugar, os participantes verificaram todas as espécies Em Perigo Crítico, Em Perigo, Vulneráveis e Quase Ameaçadas (53 espécies), seguidas das espécies com Dados Insuficientes (198 espécies). Devido à limitação de tempo, não foi possível avaliar na totalidade as espécies Seguras ou Pouco Preocupantes, no entanto, foram identificadas 90 espécies com estatudo de Pouco Preocupantes com um excelente potencial de conservação educativa. Os participantes do workshop não avaliaram 594 espécies, porém, foram contactados especialistas em anfíbios locais para ajudar a avaliar muitas dessas espécies, o que será levado a cabo nos próximos meses. Com base nos dados disponíveis no workshop, foram atribuídas prioridades às espécies de anfíbios do Brasil de acordo com os papéis de conservação que se seguem:

  • 14 espécies inserem-se no papel de Salvamento - espécies em perigo iminente de extinção (local) e que requerem uma gestão ex situ como parte de um programa integrado, para assegurar a sua sobrevivência.
  • 24 espécies inserem-se no papel de Conservação In Situ - espécies para as quais a mitigação de ameaças na Natureza ainda poderá levar a uma conservação com sucesso.
  • 204 espécies inserem-se no papel de Investigação In Situ - espécies que, por um ou mais motivos, requerem que sejam realizadas mais investigações in situ como parte de uma ação de conservação das espécies. Desconhecem-se até à data uma ou mais informações fundamentais.
  • 19 espécies inserem-se no papel de Investigação Ex Situ - espécies que estão a ser submetidas a investigação aplicada específica que contribui diretamente para a sua conservação, ou de uma espécie relacionada, na Natureza (o que inclui espécies claramente definidas como “modelo” ou “substitutas”).
  • 136 espécies identificadas para Educação Ambiental - espécies especificamente selecionadas para gestão, sobretudo em parques zoológicos e aquários, para inspirar e aumentar o conhecimento dos visitantes, de modo a promover uma mudança de comportamento positiva.

  É muito provável que estes valores sofram alterações assim que sejam recebidas as informações adicionais dos especialistas em anfíbios que não estiveram presentes no workshop. Quando todas as informações tiverem sido recebidas, a ficha informativa do Brasil será atualizada e serão os relatórios serão novamente efetuados. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de planeamento de conservação na Indonésia, Bogor, Indonésia, de 27 a 29 de julho de 2009

Reuniram-se mais de 50 pessoas no Taman Safari Indonesia, Cisarua, Bogor, a 27 de julho, para dar início ao workshop sobre anfíbios. Após a receção efetuada pelo Presidente da SEAZA, Jansen Manansang, foram realizadas as apresentações de Kevin Johnson da Amphibian Ark, do Professor Djoko Iskander do Dosen Institut Teknologi Bandun e de Mirza Kusrini da Universidade Agrícola de Bogor. Estas apresentações traçaram um quadro geral da crise global dos anfíbios, da criação da Amphibian Ark e das questões referentes aos anfíbios na Indonésia. Durante o workshop de atribuição de prioridades, foram avaliadas 381 espécies, tendo sido compilados dados para 207 espécies. Os participantes do workshop não possuíam informações suficientes para analisar as restantes 174 espécies, no entanto, foram contactados especialistas locais em anfíbios para ajudar a avaliar essas espécies. Com base nos dados disponíveis durante o workshop, foram atribuídas prioridades às espécies de anfíbios da Indonésia de acordo com os papéis de conservação que se seguem:

  • 182 espécies que, por um ou mais motivos, requerem que seja realizada mais investigação in situ como parte de uma ação de conservação das espécies. Desconhecem-se à data uma ou mais informações fundamentais.
  • 6 espécies estão a ser alvo de uma investigação ex situ específica que contribui diretamente para a sua conservação, ou de uma espécie relacionada, na Natureza (o que inclui espécies claramente definidas como “modelo” ou “substitutas”).
  • 1 espécie ameaçada pela captura em massa (por exemplo, como um recurso alimentar) que poderá ser reproduzida em cativeiro para dar resposta à procura de especímenes apanhados na Natureza.
  • 86 espécies escolhidas especificamente para propósitos de educação ambiental sobretudo em parques zoológicos e aquários, para inspirar e aumentar o conhecimento dos visitantes, de modo a promover uma mudança de comportamento positiva.

  É provável que estes valores sofram pequenas alterações quando forem recebidas as informações adicionais dos especialistas em anfíbios que não estiveram presentes no workshop. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de atribuição de prioridades para as espécies do Panamá, Panamá, de 12 a 14 de novembro de 2008

O Smithsonian Tropical Research Institute [Instituto de Investigação Tropical Smithsonian] (STRI) acolheu o Panamanian Amphibian Prioritization Workshop [Workshop de Atribuição de Prioridades para Anfíbios do Panamá], com a duração de três dias, de 12 a 14 de novembro de 2008. O workshop, ministrado por Paul Crump do Houston Zoo, contou com 13 participantes de dez organizações diferentes. Foram avaliadas um total de 204 espécies, utilizando a ferramenta de atribuição de prioridades desenvolvida pela Amphibian Ark. Os participantes do workshop trabalharam de forma muito eficiente, completando todas as avaliações ao fim de dois dias. No terceiro dia foi realizada uma discussão sobre a implementação dos resultados do workshop e sobre a criação de um plano de ação para a conservação dos anfíbios ao nível nacional. Os participantes identificaram quatro agrupamentos básicos de espécies, com base nas suas necessidades de conservação, ditando assim o seu “papel” ex situ.

  1. Espécies possivelmente extintas na natureza (ARK – 10%),
  2. Espécies que se encontram estáveis neste momento, mas que, em breve, serão expostas a processos que as colocam em perigo de extinção (SALVAMENTO – 15%),
  3. Espécies cujo estado de conservação é completamente desconhecido (NENHUM – 32%),
  4. Espécies que não requerem qualquer ação de conservação (NENHUM – 43%).

  Todas as espécies incluídas no terceiro grupo foram marcadas para trabalhos de avaliação in situ. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de atribuição de prioridades para as espécies de Hong Kong e da Província de Guangdong, Hong Kong, 22 e 23 de maio de 2008

22 participantes, em representação de sete organizações, reuniram-se no Ocean Park Hong Kong a 22 de maio de 2008, para dar início a um workshop sobre anfíbios com a duração de dois dias. Os dois principais objetivos deste workshop consistiam na apresentação de vários estudos, nos quais eram delineadas algumas das atividades de conservação de anfíbios que se encontram em curso em Hong Kong e na Província de Guangdong, para tentar avaliar e atribuir prioridades a todas as espécies de anfíbios das duas áreas para potenciais programas de conservação ex situ. Foram efetuadas várias apresentações durante a manhã do primeiro dia, sendo esta uma ótima forma de os oradores partilharem com os outros participantes o trabalho em que se encontram envolvidos. O domínio de aplicação do workshop de atribuição de prioridades às espécies de anfíbios correspondeu a todas as espécies de Hong Kong e da Província de Guangdong. Este workshop incluiu 24 espécies presentes em Hong Kong, sendo uma delas endémica, a saber, Philautus romeri. As espécies de Hong Kong incluíram 2 espécies Em Perigo, 2 Quase Ameaçadas, 2 Vulneráveis e 18 Seguras ou Pouco Preocupantes. Todas estas espécies, à exceção da Philautus romeri também estão presentes na Província de Guangdong. Durante o workshop foram ainda avaliadas 42 espécies existentes na Província de Guangdong que não estão presentes em Hong Kong. Das 66 espécies avaliadas, três espécies: Andrias davidianus (salamandra-gigante-chinesa, 大鯢), Philautus romeri (rã-arborícola-de-romer, 香港(羅氏)小樹蛙) e Cynops orphicus (salamandra-dayang, 潮汕蠑螈) foram classificadas com um grau de prioridade consideravelmente mais elevado do que as restantes espécies. Estão em curso vários projetos de investigação referentes à Andrias davidianus na China, existindo uma experiência considerável na reprodução comercial da espécie. Já existe um programa de reprodução em cativeiro para a Philautus romeri, sendo que a Kadoorie Farm & Botanic Gardens e o Ocean Park já estão envolvidos na reprodução em cativeiro e reintrodução de espécimes na Natureza. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio estando também disponível um relatório mais detalhado sobre o workshop.


Workshop de atribuição de prioridades para as espécies da África do Sul, Joanesburgo, de 25 a 28 de abril de 2008

Mais de 200 espécies de anfíbios da África do Sul foram consideradas como prioritárias para ações de conservação durante o workshop de atribuição de prioridades, com a duração de dois dias, realizado pela AArk no Johannesburg Zoo. Cerca de vinte especialistas em anfíbios das mais variadas áreas - trabalho de campo, universidades, museus, parques zoológicos, ONG, governos e estudantes - reuniram-se para ponderar e dar resposta às diversas questões necessárias para identificar as prioridades e papéis ex situ das rãs ameaçadas na região. O Responsável pelos Grupos Taxonómicos da AArk, Richard Gibson, presidiu à reunião com a preciosa ajuda de Jesse Krebs do Henry Doorly Zoo em Omaha, que preparou habilmente os ficheiro da Global Amphibian Assessment [Avaliação Global de Anfíbios] (GAA) para servirem de referência aos participantes. Quatro espécies foram recomendadas para programas de salvamento urgente, 20 espécies foram recomendadas para iniciativas de investigação ex situ, para investigar a sua biologia e reprodução, e 15 espécies foram identificadas como sendo adequadas para propósitos educativos. Curiosamente, duas das espécies consideradas como educativas encontram-se agora em grave perigo de extinção, contudo, foi considerado que um esforço educativo concertado poderia ser suficiente para melhorar o seu estado. O processo foi executado sem qualquer percalço, com o apoio de todos os presentes, tendo como resultado uma lista ordenada de espécies classificadas por prioridades para salvamento, investigação e fins educativos. A atribuição de prioridades a 35 espécies de Angola, Malawi, Tanzânia e Zimbabué não foi terminada devido à falta de informações e familiaridade com as espécies na Natureza. Será procurada ajuda adicional para completar estas avaliações de espécies nas próximas semanas. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio. Estão a ser recolhidas informações adicionais sobre as espécies às quais não foi possível atribuir prioridades com os conhecimentos disponíveis à data da reunião.


Workshop de atribuição de prioridades para as espécies da Malásia, Kuala Lumpur, de 15 a 18 de janeiro de 2008

O Zoo Negara em Kuala Lumpur, na Malásia, recebeu um workshop sobre anfíbios em janeiro de 2008. 39 delegados de oito países participaram no workshop realizado no magnífico hotel Palace of the Golden Horses. O primeiro dia do workshop começou com uma cerimónia de abertura, com vários convidados ilustres, seguida de uma tarde de apresentações de alguns delegados, num formato de conferência normal. Foi uma ótima forma para todos os participantes aprenderem mais sobre o trabalho em que os seus colegas estão envolvidos e para os delegados delinearem os seus interesses específicos e os projetos em que se encontram envolvidos juntamente com as suas instituições. Nos dois dias que se seguiram decorreram, simultaneamente, dois workshops diferentes, um sobre a atribuição de prioridades a espécies de anfíbios e outro sobre a gestão ex situ de anfíbios. Os participantes do workshop de atribuição de prioridades a espécies utilizaram a ferramenta de seleção e atribuição de prioridades a espécies da Amphibian Ark para avaliar 211 espécies existentes na Malásia. 62 dessas espécies são endémicas. Sete taxa adicionais (Ansonia latifi, Ansonia latirostra, Ansonia endauensis, Ansonia sukumarani, Ingerophrynus gollumi, Rana monjerai e Theloderma licin) foram adicionados às espécies da lista de Avaliação Global de Anfíbios (GAA) dos grupos taxonómicos da Malásia. Infelizmente, os participantes do workshop não possuíam informações suficientes relativamente às 46 espécies, razão pela qual foram apenas parcialmente avaliadas. Foram contactados outros especialistas em anfíbios da Malásia, tendo-lhes sido perguntado se estariam dispostos a ajudar a completar a avaliação destas 46 espécies. Em conjunto, os participantes identificaram espécies análogas comuns para as dez espécies em maior perigo e sugeriram que a comunidade ex situ da Malásia utilizasse estas espécies análogas para ganhar experiência na área da maneio e reprodução antes de trabalhar com as espécies mais ameaçadas. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio, encontra-se igualmente disponível um relatório sumário do workshop.


Workshop de atribuição de prioridades a espécies da Venezuela, Rancho Grande, 17 e 18 de novembro de 2007

Foi realizado um workshop de atribuição de prioridades a espécies de anfíbios da Venezuela em Rancho Grande, a 17 e 18 de novembro de 2007. O workshop contou com 25 participantes, sendo a maioria investigadores e especialistas de várias regiões do país e alguns representantes de parques zoológicos. O workshop de atribuição de prioridades foi ministrado por Luis Carrillo (CBSG do México) e Diana Sarmiento (ALPZA, Associação Latinoamericana de Zoos e Aquários), tendo sido organizado pela AVZA (Associação Venezuelana de Zoos e Aquários) e pela ALPZA. A Venezuela ocupa a 8ª posição quanto à diversidade de anfíbios no país, com 293 espécies. Todavia, 26% das suas espécies encontram-se ameaçadas, essencialmente devido à destruição dos habitats. Até à data, existe uma espécie reconhecida como extinta (Atelopus vogli). O workshop teve início com uma explicação da metodologia e dos objetivos da AArk. Foram avaliadas 69 espécies mas, infelizmente, 25 dessas espécies não foram avaliadas na íntegra devido à falta de informação disponível pelos participantes. As dez espécies prioritárias na Venezuela são as seguintes:

Atelopus pinangoi Atelopus oxyrhynchus
Atelopus sorianoi Colostethus leopardalis
Mannophryne collaris Mannophryne cordilleriana
Atelopus carbonerensis Mannophryne neblina
Atelopus mucubajensis Nephelobated alboguttatus

Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de atribuição de prioridades a espécies da Colômbia, Bogotá, 11 e 12 de novembro de 2007

O workshop de atribuição de prioridades a espécies de anfíbios da Colômbia foi organizado e ministrado por Luis Carrillo da CBSG do México e Diana Sarmiento da ALPZA. O workshop com a duração de dois dias, realizado em Bogotá, contou com 15 participantes, entre os quais se encontravam representantes de parques zoológicos colombianos, especialistas em anfíbios e investigadores de universidades e ONG. O workshop foi organizado pela ALPZA e pela ACOPAZOA (Associação Colombiana de Parques Zoológicos e Aquários). O workshop teve início com introduções representativas, seguidas de apresentações sobre a metodologia do workshop e as folhas de cálculo da AArk utilizadas para a seleção de espécies e atribuição de prioridades. Com a ajuda do ministrante do workshop, os participantes começaram a avaliar todas as espécies de anfíbios CR [Em Perigo Crítico], EN [Em Perigo] e VU [Vulneráveis]. Foi avaliado um total de 209 espécies. Infelizmente, os participantes não dispunham de dados suficientes para avaliar 130 espécies, sobretudo devido à falta de investigação em algumas áreas (por causa das guerrilhas), o que implica a existência de algumas lacunas de informação. Contudo, os participantes acordaram entrar em contacto com outros especialistas em anfíbios que não puderam estar presentes no workshop para que algumas destas espécies possam ser avaliadas. Uma parte importante do workshop foi dedicada à recolha de novas informações sobre as espécies avaliadas. As informações centraram-se na presença de quitrídio, nas novas populações descobertas, entre outros. As dez espécies prioritárias na Colômbia são:

Phyllobates terribilis Atelopus longibrachius
Atelopus famelicus Bolitoglossa pandi
Atelopus farci Atelopus eusebianus
Atelopus monohernandezi Atelopus minutulus
Cryptobatrachus nicefori Atelopus subornatu

No final do workshop, a ECOFONDO (Mariela Osorno) apresentou os resultados preliminares do projeto levado a cabo no Rio Magdalena e no Amazonas, no qual é efetuado um trabalho em conjunto com a comunidade para desenvolver a consciencialização e o interesse locais pela conservação dos anfíbios e dos recursos hídricos. A ECOFONDO lidera uma campanha cujo objetivo consiste em manter a água como um recurso público. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de atribuição de prioridades a espécies da Costa Rica, S. José, de 31 de Outubro a 3 de novembro de 2007

O Responsável pelos Grupos Taxonómicos da AArk, Kevin Johnson, ministrou um workshop de atribuição de prioridades com a duração de três dias na Costa Rica, acolhido pela Fundación Pro Zoológicos e pelo Parque Zoológico y Jardín Botánico Nacional Simón Bolívar, em San José. Estiveram presentes no workshop aproximadamente 20 participantes, incluindo Federico Bolaños da Universidad de Costa Rica e vários dos seus alunos, funcionários do parque zoológico, funcionários da CBSG da Mesoamérica e especialistas do setor privado. Os participantes atribuíram prioridades a 188 espécies e tentaram dar resposta às questões referentes a muitos dos taxa da terceira secção (Programa de Implementação) da ferramenta de atribuição de prioridades. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.


Workshop de atribuição de prioridades a espécies da América do Norte e de Porto rico, Fort Worth, TX, EUA, 30-31 de julho e 1 de agosto de 2007

20 pessoas, incluindo dois ministrantes da Amphibian Ark e os principais especialistas em anfíbios de instituições do Canadá, dos EUA e do México reuniram-se no Zoo de Fort Worth, no Texas, em agosto de 2007, para realizar a atribuição de prioridades a espécies da América do Norte e de Porto Rico. Devido à limitação de tempo, não foram analisadas todas as espécies, mas o grupo atribuiu prioridades a 86 espécies. Destas espécies, 10 são originárias de Porto Rico, 5 do Canadá e as restantes são originárias dos EUA e do México. Metade das espécies com maior prioridade pertence ao género Eleutherodactylus, de Porto Rico. Os resultados completos do workshop estão disponíveis na página Assessment Results (resultados das avaliações) do nosso sítio.