AArk logo

Resultados da avaliação

CNA logo
As avaliações concluídas e as acções de conservação recomendadas podem ser encontradas no programa de Avaliação de Necessidades de Conservação em

www.ConservationNeeds.org

Os Responsáveis Taxonómicos da Amphibian Ark ajudam na coordenação de todos os aspectos da implementação no âmbito da iniciativa AArk, nomeadamente apoiando os parceiros AArk na identificação de taxa prioritários para trabalho de conservação in situ (no terreno) e ex situ (em cativeiro). A primeira parte deste processo envolve a avaliação de espécies de anfíbios para identificar espécies prioritárias e as suas necessidades de conservação imediatas. A conservação ex situ de uma espécie de anfíbio ameaçada é considerada necessária quando o imperativo da conservação in situ não pode, por si só, assegurar a sobrevivência de uma espécie e do seu ecossistema. Uma descrição completa do nosso processo de avaliação está disponível em Inglês e em Espanhol.

Entre 2007 e 2014 o pessoal da AArk e os nossos parceiros realizaram, a nível nacional e regional, 26  workshops de Avaliação de Necessidades de Conservação e no início de 2015 o processo foi migrado para um programa online. Todas as avaliações de espécies realizadas podem ser vistas no programa online, e as resultantes recomendações de acções de conservação para cada espécie podem ser vistas em detalhe no relatório Acções de Conservação Nacionais Recomendadas. As recomendações podem ser pesquisadas por país e/ou por tipo de acção de conservação.

A tabela abaixo exibe números sumários para todas as avaliações realizadas desde 2009. As avaliações completadas entre 2007 e 2009 foram realizadas com recurso a uma versão anterior do processo de avaliação, cujos dados não tinham a valia que a presente versão apresenta, e essas avaliações não fornecem dados suficientes para produzir as recomendações que actualmente são utilizadas. Uma segunda tabela abaixo exibe os sumários para estas avaliações mais antigas, junto com as ligações para os relatórios destas avaliações.

Country Ark Resgate Conservação in situ Pesquisa in situ Pesquisa ex situ/
Analog
Produção em massa Educação para a conservação Suplement-
ação
Biobanco Nenhuma
Argentina* 0 6 18 40 19 0 34 0 6 12
Bahamas* 0 0 0 0 1 0 1 0 0 0
Bolivia 0 29 40 111 15 2 74 0 29 86
Brazil* 0 14 24 142 19 0 58 0 14 23
Cambodia 0 0 22 57 1 0 30 0 0 5
Canada 0 0 3 3 9 0 21 0 0 20
Chile 0 9 24 33 16 1 21 0 9 4
Cuba 0 0 41 41 38 0 26 0 0 1
Dominica* 0 1 2 2 0 0 1 0 1 0
Dominican Republic 0 4 28 11 20 0 22 0 4 1
Ecuador* 0 55 202 185 10 0 61 0 55 17
Grenada* 0 0 1 0 1 0 1 0 0 0
Guatemala 0 34 42 83 11 0 12 0 34 36
Haiti 0 10 41 21 19 0 20 0 10 2
Hungary 0 0 1 18 0 0 9 0 0 0
Indonesia* 0 1 1 63 0 1 82 0 1 88
Jamaica 0 1 4 10 6 0 6 0 1 7
Japan 0 0 61 1 12 0 59 0 0 0
Laos 0 0 35 92 2 0 45 0 0 6
Madagascar 0 20 167 203 78 4 62 0 20 12
Philippines 0 2 36 47 40 1 42 0 2 19
Puerto Rico 0 7 6 8 6 0 22 0 7 0
Singapore 0 1 8 25 2 0 12 0 1 2
St. Vincent and the Grenadines 0 0 1 0 0 0 1 0 0 0
Sri Lanka* 0 11 22 18 31 0 27 0 11 13
Trinidad and Tobago* 0 0 0 5 3 0 2 0 0 0
United States 1 6 58 61 36 0 90 0 7 118
Vietnam 0 0 80 155 4 0 73 0 0 6

 

Older assessment data

País Ark  Resgate/ Suplementação Produção em massa em cativeiro Pesquisa para a conservação Educação para a conservação Nenhuma
Colombia*    13   54 13  
Costa Rica 19 11 11 27 1 119
Europe   7 1 9 17 73
Malaysia*   9 6   18 137
Mexico   127   60   2
Panama 21 32     3 148
Peru   9 2 49 1 13
Southern Africa   4   20 15 157
Thailand   1 1 21 27 96
Venezuela   8 1 32 1 1

 

* indicates that not all species in this country have been assessed.

Definição dos papéis de conservação da AArk

  • Ark – espécies que estão extintas na natureza (local ou globalmente) e que se extinguiriam em absoluto sem gestão ex situ.
  • Resgate – Espécies em risco de extinção iminente (a nível local ou global) e que precisam de gestão ex situ, como parte de um programa integrado, para garantir a sobrevivência da espécie.
  • Conservação In Situ – Espécies para as quais a conservação poderá ainda ser conseguida através do controlo das ameaças às populações silvestres.
  • Pesquisa In Situ – Espécies para as quais é necessário realizar, por uma ou mais razões, pesquisa in situ adicional, no âmbito das acções de conservação para a espécie. Existe ainda informação chave que não é conhecida.
  • Pesquisa Ex Situ – Species undergoing specific applied research that directly contributes to the conservation of the species, or a related species, in the wild (this includes clearly defined ‘model’ or ‘surrogate’ species).
  • Suplementação – Espécies para as quais os programas ex situ beneficiam as populações selvagens através de reprodução para libertação, no âmbito do plano de acção para conservação recomendado.
  • Produção em massa em cativeiro – Espécies ameaçadas devido a captura na natureza (ex.: como fonte de alimento), que podem ser ou estão actualmente a ser criadas em cativeiro – normalmente no próprio país mas ex situ-, para substituir a procura de exemplares na natureza. Não estão geralmente incluídos nesta categoria os exemplares de espécies criados em cativeiro, como passatempo ou para animais de estimação, salvo em condições excepcionais, nas quais programas de criação em cativeiro geridos e coordenados possam, de forma demonstrável, contribuir para reduzir as capturas na natureza.
  • Educação para a conservação – Espécies especificamente seleccionadas para gestão – particularmente em Zoológicos e Aquários – com o objectivo de inspirar, aumentar o conhecimento e promover mudanças de comportamento positivas, entre os visitantes. Por exemplo, quando uma espécie é usada para angariar fundos, ou outras formas de apoio para projectos de conservação no terreno (nestes casos utilizar-se-iam espécies claramente definidas como “emblemáticas”, ou “embaixadoras”).
  • Biobanco – Espécies para as quais existe recomendação urgente de recolha de sémen ou células, para preservar a variedade genética, devido a uma significativa ameaça de extinção.
  • Nenhuma – Espécies que não requerem presentemente qualquer acção de conservação. Esta lista pode também incluir espécies que não foram avaliadas durante os workshops, por não existirem dados disponíveis.